8 de Março de 2016

Subida de escalão

texto Rui Eduardo Paes fotografia Marta Caeiro e Câmara Municipal da Amadora

O evento promovido pela Câmara Municipal da Amadora e programado pelo Jazz ao Centro Clube levou mais de 700 pessoas aos Recreios da cidade, durante os seus quatro dias de duração. Ricardo Toscano Quarteto, Gera Jazz, Rodrigo Amado Motion Trio e Mário Laginha a solo assinaram o sucesso, numa mostra da variedade do nosso jazz.

Ler mais

4 de Março de 2016

Lotação esgotada

texto Nuno Catarino fotografia Rosa Reis

O septeto da Beira Interior iniciou na Culturgest uma série de concertos que os levará nos próximos meses a vários pontos do País. O alinhamento do concerto incluiu temas do disco homónimo recentemente editado e uma nova composição. Casa à cunha e entusiasmo do público: temos novos protagonistas nestes tempos particularmente felizes para o jazz nacional.

Ler mais

1 de Março de 2016

Avalanche sónica

texto Nuno Catarino

A nona edição do festival programado pelo músico electrónico Travassos, também responsável da editora Shhpuma e “designer” das capas dos discos da Clean Feed, teve como ponto alto um avassalador encontro do saxofonista Peter Brötzmann com o grupo de rock psicadélico Black Bombaim. A jazz.pt foi espreitar…

Ler mais

25 de Fevereiro de 2016

Do órgão-corpo ao corpo sem órgãos

texto Rui Eduardo Paes fotografia Cláudio Rêgo

O grupo anglo-norueguês foi à SMUP apresentar a sua música “em transição”, algures entre as lógicas idiomáticas do jazz e do rock e algo que lembrou a explosão da casa filmada por Antonioni em “Zabriskie Point” . Gilles Deleuze teria certamente apreciado.

Ler mais

23 de Fevereiro de 2016

A vermelho e negro

texto João Ricardo fotografia Rui Pinheiro

O duo feminino italiano foi à Sonoscopia, no Porto, fazer uma residência artística que resultou num concerto em que se ouviram instrumentos de tradições perdidas, recuperações do futurismo e do dadaísmo e até usos vocais dos blues e do gospel. Entre a escuridão quase total e iluminação vermelha, foi como aqui se conta…

Ler mais

19 de Fevereiro de 2016

Torrente obsessiva

texto Nuno Catarino fotografia José Frade

O trio de piano jazz foi ao Teatro Maria Matos apresentar uma música minimalista que deve mais a Steve Reich do que a Thelonious Monk. Parecia feita por máquinas e não tinha lugar para a improvisação, mas entusiasmou o público com os seus ritmos compulsivos.

Ler mais

16 de Fevereiro de 2016

Como gasolina para as chamas

texto Nuno Catarino fotografia Vera Marmelo

A dupla do saxofonista / trompetista e do baterista que se juntaram a Rodrigo Amado no álbum “This is Our Language” passou por Portugal em digressão entre os dias 10 e 13 de Fevereiro. A jazz.pt foi ouvi-los na ZDB, em Lisboa, e a casa ardeu…

Ler mais

8 de Fevereiro de 2016

Viagem psicadélica

texto e fotografia João Ricardo

No passado dia 5 de Fevereiro, a Sonoscopia apresentou o trabalho desenvolvido por um quinteto formado por três portugueses, um francês e um galês numa residência artística de três dias nas instalações do Porto daquela associação. Só faltou a água para termos todos os elementos reunidos.

Ler mais

8 de Fevereiro de 2016

Parede plural

texto Rui Eduardo Paes fotografia Cláudio Rêgo

Numa só semana, a SMUP agendou quatro concertos que demonstraram bem a variedade de abordagens que existe nos domínios da improvisação e do jazz. Se a música do duo de Ulrich Mitzlaff e Carlos Santos foi de uma beleza especial, o Solo Pictórico ficará para os anais, pois foi a primeira vez que Barretto tocou na vila em que cresceu. Já o grupo suíço deixou impressões contraditórias.

Ler mais

24 de Janeiro de 2016

Caramelo a ferver e queda em Marte

texto Rui Eduardo Paes fotografia Vera Valente

O novo projecto da cena “improv” de Lisboa, envolvendo um catalão e três portugueses que não era previsível ouvirmos juntos, actuou na Parede dias depois de ter gravado aquele que será o seu disco de estreia. Entre torrentes de açúcar em ebulição, puseram-nos a imaginar um despenhamento no planeta vermelho. Foto acima: Albert Cirera

Ler mais

21 de Janeiro de 2016

Vendaval de jazz em Nova Iorque

texto Carlos Filipe Freitas fotografia Maria Clara Pereira

De 13 a 17 de Janeiro, Nova Iorque foi palco do maior festival de jazz da cidade, estabelecido em 2005 pelos produtores Adam Schatz e Brice Rosenbloom. Cinco dias de concertos à desfilada, muitos deles ocorrendo em simultâneo. A jazz.pt esteve no centro da tempestade (foto acima: George Coleman)…

Ler mais

19 de Janeiro de 2016

Hora e meia de consagração

texto Nuno Catarino fotografia Rosa Reis

O novo grupo que se estreou com o álbum “The Bell” apesentou na Culturgest uma música muito contida e sem grande abertura, mas que convenceu o público com a riqueza dos seus detalhes.

Ler mais

9 de Janeiro de 2016

Uma noite poética

texto Rui Eduardo Paes fotografia Vera Valente / Cultura no Muro

O primeiro concerto de 2016 na SMUP teve em “drive”, entrega e entrosamento o que lhe faltou em risco, resultando em hora e meia de grande música. Na apresentação do novo disco “Those Who Stay” brilharam o baterista veterano José Salgueiro, o guitarrista Tiago Oliveira e o próprio líder contrabaixista. No início, ouviu-se a poesia de Al Berto…

Ler mais

24 de Dezembro de 2015

Que se lixe o Banif

texto Rui Eduardo Paes fotografia Cláudio Rêgo

Foi uma festa, o último concerto de jazz do ano na SMUP. De regresso aos palcos, o projecto que reúne três dos nossos melhores músicos apresentou-se em registo de combate, brincando com a tendência portuguesa para salvar bancos. O público, numeroso, exultou.

Ler mais

19 de Dezembro de 2015

Sob o signo de Parker

texto Rui Eduardo Paes

A apresentação do livro de esboços que André Coelho fez da residência artística de Evan Parker, em 2012, com alguns dos participantes no minifestival agora organizado por Luís Vicente e Marcelo dos Reis acabou por ser o mote do evento. Nos três concertos da noite foram exemplarmente aplicados os princípios que então o saxofonista transmitiu…

Ler mais

17 de Dezembro de 2015

Entre abordagens

texto Rui Eduardo Paes fotografia Cláudio Rêgo

A “tour” por Portugal do trio norueguês passou pela Parede e fez com que o pouco público parecesse crescer, tal foi o entusiasmo. A música esteve entre as coordenadas da improvisação livre e do jazz, com melodias de canção pop a surgirem pelo meio. Até o fantasma de Roland Kirk andou por ali, tocando saxofones tenor e soprano em simultâneo.

Ler mais

10 de Dezembro de 2015

Sonho, confiança e festa

texto Rui Eduardo Paes fotografia Catarina Louro

A editora encabeçada por Desidério Lázaro e João Firmino comemorou o seu terceiro aniversário com quatro concertos de enfiada que ocuparam o Hot Clube até altas horas da madrugada. Ouviram-se várias concepções do jazz, com a maior surpresa guardada para o fim: uma revisão do “Ode Portrait” por Marco Santos que deixou todos de queixo caído.

Ler mais

30 de Novembro de 2015

Viagem de automóvel

texto Rui Eduardo Paes fotografia Cláudio Rêgo

O quarteto de Marco Von-Orelli, Luís Lopes, Travassos e Sheldon Suter apresentou na Parede a sua visão de uma música “não-desenvolvimentista” em que, afinal, muito ia sub-repticiamente acontecendo. Os dois suíços brilharam, mas os portugueses mantiveram-se discretos, o que fez com que o concerto não entusiasmasse. Talvez da próxima vez, como na anedota do passeio motorizado pelas montanhas da Suíça…

Ler mais

25 de Novembro de 2015

Improvisação sinestésica

texto Rui Eduardo Paes fotografia Fundação de Serralves

Num ciclo de três dias dedicado por Serralves à interacção do cinema e do vídeo com a música, estiveram em grande plano práticas de improvisação que coabitam com as do jazz e da música improvisada. Razão pela qual improvisadores como Werner Dafeldecker e Joachim Nordwall estiveram envolvidos. A jazz.pt foi lá espreitar. 

Ler mais

23 de Novembro de 2015

O jazz também é isto

texto Rui Eduardo Paes fotografia Cláudio Rêgo

Foi um concerto colorido, extravagante, inconformista e atrevido, misturando canção pop e experimentalismo improvisado num invólucro que soava indubitavelmente a jazz. De um grupo com dois portugueses, três belgas - um deles com mãe catalã - e um italiano só poderia resultar algo tão diverso e tão diferente, ao mesmo tempo fazendo todo o sentido.

Ler mais