Maria do Mar / Ricardo A. Freitas, 22 de Dezembro de 2022

Maria do Mar / Ricardo A. Freitas

Celebrar uma década

texto: Nuno Catarino / fotografia: Pedro Melo Alves

Maria do Mar (violino) e Ricardo A. Freitas (baixo acústico) começaram a colaborar em 2012, estabelecendo um duo de música improvisada. Passados dez anos, assinalaram a década de parceria com uma atuação no espaço Água Ardente, em Lisboa. Estivemos lá.

Maria do Mar tem sido uma das figuras mais ativas da música improvisada nacional ao longo da última década. Contudo, a violinista nem sempre esteve ligada a este universo musical: só começou a descobrir e a praticar a improvisação livre após ter frequentado em 2012 um workshop com o lendário Lawrence D. “Butch” Morris (1947 – 2013). E desde então tem desenvolvido uma produção musical que se espalha em diferentes colaborações e parcerias, integrando também o sexteto Lantana (distinguido como grupo do ano dos Prémios RTP / Festa do Jazz 2022).

Uma das suas primeiras parcerias na exploração livre foi o duo com Ricardo A. Freitas, que toca baixo acústico – o músico liderou o grupo IntErLúNio e atualmente integra os Al-Jiçç. Embora tenha estado menos ativa nos últimos tempos, a dupla Mar/Freitas resolveu assinalar a década de colaboração com uma atuação no espaço Água Ardente, em Lisboa, na passada segunda-feira, dia 19 de dezembro. O espaço foi inaugurado em março deste ano (com uma atuação dos italianos Circles 44), conta com programação de Pedro Melo Alves e tem sido um palco privilegiado para a efervescente cena improvisada nacional. 

Ao longo da atuação na Água Ardente a dupla combinou as delicadas cornucópias do violino (de toada clássica) com a base mais rítmica do baixo, e o duo foi combinando e interligando padrões, mesclando linhas sonoras. Pelo meio os músicos foram introduzindo alguns elementos eletrónicos (som processado, samples), acrescentando camadas de texturas. A dupla foi estabelecendo uma perfeita comunicação, um diálogo atento (e com escuta atenta também), encontrando múltiplos pontos de contacto, alcançando alguns momentos de inesperada beleza – algo que muito valorizamos quando assistimos a encontros de música livremente improvisada. 

A dupla Mar/Freitas celebra dez anos e estes músicos mostraram-nos ao vivo o seu talento. Esperamos poder vê-los com mais regularidade em situações destas (em duo, ou alargando a parceria a outras colaborações), criando uma música que, sem rede, resulta particularmente feliz.

Agenda

01 Fevereiro

Com Calma Jazz Jam

Com Calma - Espaço Cultural - Lisboa

02 Fevereiro

João Lencastre, Pedro Branco e João Hasselberg

Miradouro de Baixo - Carpintarias de São Lázaro - Lisboa

02 Fevereiro

Mockūnas-Mikalkenas-Berre

Água Ardente - Lisboa

02 Fevereiro

Ensemble Porta-Jazz / Robalo

Porta-Jazz - Porto

02 Fevereiro

José Menezes Quarteto

Cine Incrível - Alma Danada - Almada

03 Fevereiro

Pedro Neves Trio “Hindrances” / Wabjie

Festival Porta-Jazz - Rivoli - Porto

03 Fevereiro

Percussion

Água Ardente - Lisboa

03 Fevereiro

Gianni Narduzzi “Dharma Bums” / Carlos Azevedo Quarteto “Serpente”

Festival Porta-Jazz - Rivoli - Porto

03 Fevereiro

Mockūnas-Mikalkenas-Berre

Salão Brazil - Coimbra

04 Fevereiro

Coletivo Osso/Porta-Jazz “Interferências” / Umbral

Festival Porta-Jazz - Rivoli - Porto

Ver mais