12 de Outubro de 2017

Ficou no Google Maps

texto Nuno Catarino fotografia Jorge Monjardino

Mais uma vez apostando no jazz “mainstream”, mas abrindo o programa aos ritmos latinos e a projectos mais exigentes, a 19ª edição do festival açoreano não ficará, certamente, esquecida pela cantora e violinista Yilian Cañizares, que antes de apanhar o avião não sabia onde localizar a Ilha Terceira, mas depois conseguiu que o público da dita se rendesse à sua música. 

Ler mais

11 de Outubro de 2017

Animais e anjos

texto Rui Eduardo Paes fotografia Cláudio Rêgo

Diz-se que todo o ser humano tem um lado animal e um lado de anjo e isso ficou demonstrado de várias maneiras em cinco concertos decorridos em três dias na SMUP, com perspectivas diferentes de como improvisar. Foi do melhor que ali já se ouviu, com os About Angels and Animals (foto acima, com Pedro Melo Alves) a encontrarem, muito especialmente, um equilíbrio.

Ler mais

7 de Setembro de 2017

Perdidos e achados

texto Rui Eduardo Paes fotografia Cláudio Rêgo

Entre o fim de uma temporada de concertos e o início de outra, duas falsas orquestras foram à Parede e arriscaram. Uma quase se perdia e a outra muito lutou para encontrar o seu caminho, curiosamente a primeira porque se soltou da referência idiomática que a supunha e a segunda porque achou noutra a cola de que precisava. A jazz.pt conta como foi… 

Ler mais

11 de Agosto de 2017

Música transparente

texto Gonçalo Falcão fotografia Joaquim Mendes

A jazz.pt foi ao Hot Clube ouvir do trio de João Paulo Esteves da Silva, ao vivo, o que vem no álbum “Brightbird”, a publicar “oficialmente” em Novembro próximo, mas já com alguns exemplares disponibilizados nos três concertos que o grupo está a protagonizar na lisboeta Praça da Alegria – o último dos quais hoje mesmo. A música parece feita de vidro, mas tem um mundo de ideias dentro.

Ler mais

8 de Agosto de 2017

Sem dogmas

texto Nuno Catarino e Gonçalo Falcão fotografia Petra Cvelbar (Fundação Calouste Gulbenkian)

Dez dias de festival com um total de 14 concertos e um igual número de perspectivas musicais quanto ao que é o jazz nos nossos dias: assim foi, entre os últimos dias de Julho e os primeiros de Agosto, mais uma edição do evento organizado pela Fundação Calouste Gulbenkian. Balanço mais do que positivo, com os participantes portugueses a tocarem alguma da melhor música que se ouviu (na foto: Susana Santos Silva Life and Other Transient Storms).

Ler mais

27 de Julho de 2017

Jazz de Verão, com muito funk

texto Gonçalo Falcão

A lendária figura do jazz veio a Portugal no passado dia 22 de Julho, para um concerto longe dos principais centros desta música: Amarante. Foram 5000 as pessoas que assistiram ao seu funk sem grandes concessões. Sim, 5000, talvez mais.

Ler mais

24 de Julho de 2017

Fins de tarde entre os pássaros

texto Nuno Catarino fotografia Carlos Porfírio / Goethe Institut

O festival do Goethe Institut cumpriu, em Lisboa, mais uma edição, com prestações que ou entusiasmaram ou deixaram o público a querer mais. E se um dos concertos foi perturbado por um público que não estava lá para ouvir música, os restantes tiveram a colaboração da passarada que povoava o jardim. Sobretudo o dos portugueses Earnear.

Ler mais

21 de Julho de 2017

Um exemplo a seguir

texto João Esteves da Silva e Nuno Catarino fotografia Fundação de Serralves

O mote da edição deste ano do ciclo de concertos da Fundação de Serralves foi a reunião no palco de músicos portugueses e de outros países. A jazz.pt assistiu a dois deles, os de Rodrigo Amado Northern Liberties e Joëlle Léandre X5, juntando os seus “Bravo!” aos demais que se ouviram.

Ler mais

20 de Julho de 2017

Bitola alta

texto Nuno Catarino e João Esteves da Silva fotografia GNRation

A edição de 2017 do ciclo organizado em Braga pelo GNRation subiu ainda mais os níveis de qualidade do seu programa, com um Evan Parker (foto acima) que não parece afectado pela idade, dois dos melhores grupos portugueses em rodagem, Slow is Possible e os Impermanence de Susana Santos Silva e uma formação inglesa, Get the Blessing, que fez com que as cabeças se agitassem sem abrir concessões à facilidade. A jazz.pt esteve lá…

Ler mais

30 de Junho de 2017

Fumo nos olhos e lâmina ao pescoço

texto Rui Eduardo Paes fotografia Cláudio Rêgo

Guitarras em foco para os lados da Parede, no concelho de Cascais, com propostas bem diferentes entre si. Ouviu-se a melodia de “Smoke Gets in Your Eyes” quando nada a fazia esperar e lembrou-se a máquina da Revolução Francesa que deu origem à expressão “vão rolar cabeças”…

Ler mais

5 de Junho de 2017

Juntos, porque diferentes

texto Rui Eduardo Paes fotografia Cláudio Rêgo (excepto Project Z)

Contra as dominantes tentativas de uniformização do gosto musical, continuam as tentativas de dar a ouvir uma diversidade de abordagens ao mundo dos sons. Eis cinco delas – uma particularmente brilhante, a dos transnacionais Mure Mure (foto acima) – acontecidas na Parede, apenas no intervalo de alguns dias…

Ler mais

18 de Maio de 2017

Agitações a Oeste

texto Rui Eduardo Paes fotografia José Félix da Costa

O “congresso” dos improvisadores realizado no Oeste português teve mais uma edição em meados de Maio, com o envolvimento de 80 músicos de 16 países. A vinda de George Haslam foi o grande trunfo, mas as atenções recaíram sobre uma portuguesa: a percussionista Sofia Borges. A jazz.pt assistiu ao último dia dos trabalhos – oito horas consecutivas de música – e aqui está o relato.

Ler mais

9 de Maio de 2017

Guitarras: fundamento e zénite

texto Rui Eduardo Paes fotografia Cláudio Rêgo

O jazz mais fresco e mais indiferente às separações entre “mainstream” e “vanguarda” que hoje está a ser tocado entre nós apresentou-se na Parede em dois concertos. Os guitarristas Pedro Branco, Mário Delgado e André Santos funcionaram como o eixo das propostas realizadas, mas foi um saxofonista que tocou em ambos os grupos, Francisco Andrade. É como aqui vos contamos…

Ler mais

24 de Abril de 2017

Dois concertos memoráveis

texto Rui Eduardo Paes fotografia Cláudio Rêgo

Dois dos mais importantes músicos de jazz do planeta, um norte-americano e o outro russo, passaram pela SMUP para um concerto que deixou o público extasiado. Antes esteve um trio suíço, mais o seu convidado catalão, para outra actuação memorável que não deixou nada de fora, justificando o adjectivo “livre” dado à improvisação sem pautas. O ano musical da Parede vai bem encaminhado…

Ler mais

13 de Abril de 2017

Todas as cores

texto Nuno Catarino e Rui Eduardo Paes fotografia Isabel Costa, Rosa Castro e Restart / Festa do Jazz

A 15ª edição do festival organizado pela Sons da Lusofonia juntou as várias cores que o jazz tem nos dias de hoje em Portugal, indo do hard bop dos Michael Lauren All Stars até à Lisbon Freedom Unit, com ambiciosas propostas de permeio como o Omniae Ensemble de Pedro Melo Alves, os Home de João Barradas ou o projecto Dentro da Janela de João Mortágua. Balanço mais do que positivo.

Ler mais

3 de Abril de 2017

Um festival de sensações

texto Luís Filipe Meira e Gonçalo Falcão fotografia Mafalda Sousa (Portalegre JazzFest)

Da quase absoluta tranquilidade da parceria entre João Hasselberg e Pedro Branco (foto acima) ao tsunami sonoro dos Shelter, o evento do Alto Alentejo teve mais uma edição, este ano dando especial atenção ao jazz da Noruega. A jazz.pt dá-vos conta do que por ali aconteceu…

Ler mais

29 de Março de 2017

Missão cumprida

texto Rui Eduardo Paes fotografia Joana Patita e Miguel Pires

O festival de apresentação do jazz português em Berlim foi um sucesso, lotando o Kunstfabrik Schlot e dando ao público local a noção de que algo de especial se passa no nosso país. Se as actuações do Marco Santos Trio e dos Slow is Possible arrancaram entusiasmados aplausos, o delírio aconteceu com os recém-estreados The Mantra of the pHat Lotus de Mané Fernandes.

Ler mais

20 de Março de 2017

Compor de outro modo

texto Rui Eduardo Paes fotografia Cláudio Rêgo

Improvisação e composição instantânea são uma e a mesma coisa, o que quer dizer que uma música “improvisada” pode ser mais estruturada do que uma “composta” no momento. O mais não seja porque improvisar é compor de outro modo. Dois conceituados grupos nacionais comprovaram isso mesmo neste mês de Março.

Ler mais

19 de Março de 2017

Um outro Porto

texto Rui Eduardo Paes fotografia Melanie Pereira e Lucas Tavares

Na sua 17ª edição, o evento organizado no Porto pela Free Jazz Company (foto acima, na companhia de Ove Volquartz) tomou as feições de um festival e juntou outros grupos e músicos ao quarteto. Ouviu-se free à maneira de Archie Shepp, improvisação com idiomatismos punk, música de câmara espontânea e articulações com a dança butô e a poesia de choque, entre algo mais. Decididamente, há mais jazz e “improv” a Norte do que os oferecidos pela Porta-Jazz e pela Sonoscopia…

Ler mais

13 de Março de 2017

Entre o intimista e o orquestral

texto Rui Eduardo Paes fotografia Município da Amadora

Dois concertos introspectivos, outros dois com grandes massas sonoras e um a puxar pela electricidade: foi este o enquadramento da sétima edição do festival que se diz ciclo na Amadora. Na memória ficarão, muito em particular, as prestações dos veteranos João Paulo Esteves da Silva e Carlos Bica e dos jovens Home (foto acima).

Ler mais