31.º Canarias Jazz & Más, 20 de Junho de 2022

31.º Canarias Jazz & Más

Julho é mês de jazz e mais nas Canárias

texto: António Branco / fotografia: Erik Umphrey, Cory Dewald

Está a chegar a 31.ª edição do Canarias Jazz & Más, importante festival que decorre entre 1 e 24 de julho nas oito ilhas do arquipélago espanhol. No topo de um cartaz bem recheado estão o San Francisco Jazz Collective, o quarteto do saxofonista Immanuel Wilkins, o projeto Big Vicious do trompetista Avishai Cohen ou o cantor Gregory Porter. E tudo aqui tão perto...

Conhecidas desde a antiguidade, as ilhas Canárias constituem um lugar especial, com qualquer coisa de mágico. Localizadas a ocidente da costa de Marrocos, em pleo oceano Atlântico, não muito distantes do arquipélago da Madeira, integram a região da Macaronésia, juntamente com os arquipélagos dos Açores e de Cabo Verde.

Dada a sua posição geoestratégica vantajosa, as ilhas foram demandadas por vários povos ao longo da história: vestígios arqueológicos denunciam a presença cartaginesa; chegaram até nós descrições do período greco-romano a partir do legado de Juba II, rei da Numídia, que ordenou que se procedesse ao seu reconhecimento. Conta-se que por nelas se terem encontrado muitos canídeos, foram batizadas de Canárias (que significa “ilhas dos cães”). Autores posteriores referiram-se-lhes como “ilhas afortunadas” e não é difícil perceber porquê.

Depois do isolamento provocado pela crise que se seguiu à queda do império romano do Ocidente e subsequentes invasões bárbaras, as ilhas foram redescobertas e novamente visitadas com regularidade a partir de meados do século XIII. Tal como aconteceu nos arquipélagos portugueses, a sua ocupação foi de certa forma laboratório para a "conquista" do Novo Mundo, matéria sensível que continua a alimentar polémicas e confrontos ideológicos. Mas basta de história...

As ilhas Canárias são cenário para a 31.ª edição do Canarias Jazz & Más, festival internacional de jazz... e mais, como o próprio título de evento honestamente admite. O ambicioso cartaz inclui mais de seis dezenas de concertos, distribuídos por 26 espaços, nas oito ilhas do arquipélago espanhol, com foco em Tenerife e na Gran Canaria. Tudo acontece entre 1 e 24 de julho.

Entre os principais nomes escalados para este festival estão o San Francisco Jazz (SFJAZZ) Collective, o quarteto do saxofonista Immanuel Wilkins, o baixista Marcus Miller em quinteto, o projeto Big Vicious do trompetista Avishai Cohen, o cantor Gregory Porter, Nate Smith & Kinfolk ou o quarteto do saxofonista Ben Wendel.

SFJAZZ Collective (na foto), sob a direção do saxofonista Chris Potter, apresenta o espetáculo “New Works Reflecting the Moment”, e tocará em três ocasiões: no dia 1 no Teatro Pérez Galdós de Las Palmas de Gran Canaria, no dia seguinte no Auditório de Tenerife, em Santa Cruz de Tenerife, e no dia 3 em Los Llanos de Aridane, na Plaza España, ilha de La Palma, sempre às 20h30.

O quarteto do saxofonista Immanuel Wilkins – com Micah Thomas ao piano, Rick Rosato no contrabaixo e Kweku Sumbry na bateria – toca no dia 6 no Museu Elder de Las Palmas, às 20h30, e no dia seguinte, à mesma hora, na Sala de Cristal do Convento de Santo Domingo em La Laguna, Tenerife (dois dias antes da sua aparição no Funchal Jazz), certamente para apresentar o superlativo “The 7th Hand” (recenseado por João Morado na jazz.pt aqui).

Outro dos nomes fortes do elenco é o baixista Marcus Miller, que no dia 12 sobe ao palco do Teatro Cuyás de Las Palmas e no dia seguinte toca no Teatro Leal de San Cristóbal de La Laguna, em ambas as noites às 20h30; o trompetista Avishai Cohen, vem com o seu grupo Big Vicious e no dia 22 de julho, às 20h30, toca na Plaza de El Almacén em Arrecife, ilha de Lanzarote (terra adotiva do centenário José Saramago) e no dia seguinte na Plaza de Santa Ana em Las Palmas, à mesma hora.

O aclamado cantor Gregory Porter, apresenta-se no dia 16 no Teatro Cuyás de Las Palmas e no dia seguinte no Auditório de Tenerife, Santa Cruz de Tenerife. Nota ainda para o baterista e compositor Nate Smith (na foto) que se apresenta com o seu projeto Kinfolk na Esplanada do Farol de Maspalomas em San Bartolomé de Tirajana e no dia seguinte no Centro Comercial Salytien em Adeje, Tenerife. O quarteto saxofonista Ben Wendel toca no dia 15 no Parque Municipal de Illa de Santa Brígida e no dia seguinte na Plaza de la Candelaria em Santa Cruz de Tenerife. Sempre às 20h30.

Mas muito mais há para ouvir e descobrir. Dos 35 projetos que subirão aos diferentes palcos – envolvendo mais de duas centenas de músicos – é de sublinhar que 14 deles têm origem local, o que não deixa de ser um sinal da vitalidade jazzística do arquipélago: Gran Canaria Big Band, Carlos Meneses Trío, Ernesto Montenegro Quintet, Gabriela Suárez Trío, Jonay Martín Trío ou a Javier Montero Jazz Band são apenas alguns exemplos.

Muita música, sol, calor, belas paisagens: razões de sobra para uma viagem às Canárias, mesmo aqui ao lado.

Informações detalhadas sobre o 31.º Canarias Jazz & Más em canariasjazz.com.

 

 

Agenda

27 Setembro

Eurico Costa e João Grilo

Maus Hábitos - Porto

27 Setembro

Jam Session com Bernardo Tinoco

Hot Clube de Portugal - Lisboa

28 Setembro

Granular Bastards

Oficinas do Convento - Montemor-o-Novo

28 Setembro

João Pedro Coelho “Crónicas”

Hot Clube de Portugal - Lisboa

29 Setembro

Mariana Dionísio & João Pereira “Tracapangã”

Café Dias - Lisboa

29 Setembro

Granular Bastards

O'culto da Ajuda - Lisboa

29 Setembro

Cícero Lee Trio feat. Desidério Lázaro

Drama Bar Lounge - Cascais

29 Setembro

Helena Espvall, José Lencastre e Maria da Rocha

Cossoul - Lisboa

29 Setembro

Conundrum: Pedro Melo Alves, Ignaz Schick

ZDB - Lisboa

29 Setembro

Quarteto Cabaud / Marques

Hot Clube de Portugal - Lisboa

Ver mais