Kaja Draksler / Susana Santos Silva: “Grow” (Intakt)

Kaja Draksler / Susana Santos Silva: “Grow” (Intakt)

Intakt

Gonçalo Falcão

Subitamente fomos inundados por um enorme discos de duos em várias editoras europeias de referência. Na ECM Barre Philips dua com György Kurtág jr. e Enrico Rava com Fred Hersch; na Clean Feed Gunter Baby Sommer com Raymond Macdonald e Lori Freedman com Scott Thomson; na Intakt Lucas Niggli toca com Matthias Loibner e a pianista eslovena Kaja Draksler com a trompetista portuguesa Susana Santos Silva.

Muitos dos discos referidos aguardam uma crítica por serem muito interessantes, mas há que começar por “Grow” porque é uma explicação sobre o que é a improvisação no seu melhor.

O duo gravou pela primeira vez em 2015 (“This Love”, Clean Feed) e desde essa altura que soubemos as duas são capazes de coisas muito especiais. Este disco prova-o.

A música é feita com um enorme número de objetos sonoros, como se fossem dois linguistas a jogar um jogo de Scrabble. As duas têm uma quantidade descomunal de recursos técnicos e a sensação que temos ao ouvir é que estão permanentemente a surpreenderem-se mutuamente.

Em “Close”, por exemplo, é difícil perceber que instrumentos estão a tocar quando o piano passa a fazer contínuos (e-bow nas cordas?) e o trompete responde com tudo o que não lhe esperávamos ouvir. Parte da magia é esta admiração ao descobrir o que é que os dois instrumentos são capazes de fazer, que não sabíamos.

Em “Liquid Rock” é espantoso ouvir as duas músicas a concordarem em discordar, ou seja, em vez de procurarem parecer o discurso da outra, tocam por oposição, numa tensão concertante em que a conversa discordante molda uma música espantosa.

Sendo o piano dos objetos mais complexos da invenção humana, ouvir Kaja Draksler levá-lo aos limites das suas capacidades expressivas (só Eve Risser parece conseguir ir mais longe) é encantador; mas ouvir um trompete, um sopro de metal aparentemente tão limitado, tão próximo de um instrumento primordial que serviu a tradição marcial, abrir-se tanto em termos sonoros, ser tão significativo, é assombroso.

Esta música foi gravada ao vivo, em direto, no festival de jazz de Copenhaga, no Koncertkirken na capital dinamarquesa e acabou de ser editado pela Suíça Intakt, uma label que cada vez mais se afirma como fundamental pela qualidade da música edita, obrigando-nos a ultrapassar a dúvida que as capas dos discos levantam.

 

  • Grow (Intakt)

    Kaja Draksler e Susana Santos Silva

    Kaja Draksler (piano); Susana Santos Silva (trompete)

Agenda

26 Novembro

Tiago Sousa

Cossoul - Lisboa

26 Novembro

Lynn Cassiers, Manolo Cabras e João Lobo “Dancing With Don”

Porta-Jazz - Porto

26 Novembro

Clara Lai, Amidea Clotet, João Almeida e João Valinho

Penha sco - Lisboa

26 Novembro

Orquestra de Jazz de Espinho com João Barradas

Teatro Municipal de Bragança - Bragança

26 Novembro

José Lencastre, Ziv Taubenfeld e Felice Furioso

SMUP - Parede

26 Novembro

Júlio Resende

Fábrica Braço de Prata - Lisboa

26 Novembro

Mariana Dionísio, Clara Lacerda e Romeu Tristão

Adega do Museu Rural e do Vinho - Cartaxo

26 Novembro

Practically Married

Hot Clube de Portugal - Lisboa

27 Novembro

Jorge Moniz “Cinematheque”

Cine-Teatro Louletano - Loulé

27 Novembro

Lynn Cassiers / Manolo Cabras / João Lobo “Dancing With Don”

MAAT - Lisboa

Ver mais