Pedro Branco: “A Narrativa Épica do Quotidiano” (Edição de autor)

Pedro Branco: “A Narrativa Épica do Quotidiano” (Edição de autor)

Edição de autor

Nuno Catarino

Assente numa soberba exploração da guitarra, esta estreia de Pedro Branco a solo é uma magnífica descoberta.

Há meia dúzia de anos o guitarrista Pedro Branco começava a fazer-se notar: tinha gravado o disco “Reencontro” com Jorge Moniz e João Custódio; começou um duo de improvisação livre com o baterista João Lencastre, Eel Slap!; estava a tocar com a banda noise/rock Oh! Calcutta!; e editou o primeiro álbum em parceria com João Hasselberg, “Dancing Our Way to Death”. Nessa altura deu uma grande entrevista à jazz.pt onde falava sobre esse início de carreira, sobre os projetos do momento e confessava: «Aquilo que me atrai no jazz é o imprevisto, é poder expressar os demónios que temos cá dentro. Eu não sou um purista, para mim o jazz é um idioma. Interessa-me a parte da improvisação.»

Desde então o guitarrista não tem parado, explorando diferentes idiomas: o projeto assumidamente jazz Old Mountain, duo com o baterista João Sousa, editou os discos “This is not our music” e “Parallels” (ambos com edição Nischo); arrancou com o projeto Branco toca Marco Paulo, onde trabalha uma surpreendente revisão jazzística de clássicos populares. Mas Branco não se tem limitado ao universo jazz e da improvisação e, em paralelo, nos últimos anos tem tocado também com projetos do universo pop/rock, como You Can’t Win, Charlie Brown, Tiago Bettencourt, Nádia Schilling, PS Lucas e Marinho, entre outras parcerias. A vastidão de estilos abordados pelo guitarrista, compositor e improvisador reflete a sua abertura, não se deixa fechar em caixas estanques.

Agora, Pedro Branco apresenta um surpreendente disco a solo, naquele que pode ser lido como o seu projeto mais pessoal até à data. Neste novo “A Narrativa Épica do Quotidiano” Branco serve-se quase exclusivamente da guitarra e apresenta um conjunto de composições originais, material distinto de tudo aquilo que já fez até este momento. Mais um “disco da pandemia”, este foi gravado em casa num processo solitário de composição, interpretação e gravação. E se no seu percurso Branco tem usado sobretudo a guitarra elétrica, muitas vezes com distorção, aqui serve-se maioritariamente da guitarra acústica.

São músicas maioritariamente instrumentais onde Branco exibe o seu virtuosismo técnico. Mas mais do que exibicionismo do dedilhar das cordas, destaca-se aqui a capacidade de criar emoção a partir de elementos simples. Já conhecíamos a sua veia melodista, particularmente na parceria com Hasselberg, e a habilidade para convocar sentimento está aqui mais evidente do que nunca. O tema inaugural desta estreia em nome próprio, “Vira-lata” (também primeiro single), é representativo da toada do álbum, com espirais que se vão repetindo, seduzindo o ouvinte. As composições são quase todas inéditas – só duas (“Lisboa” e “Norman”) são repescadas do disco “Dancing Our Way To Death”. Os temas do disco vão refletindo sobretudo ambientes de carregada melancolia, uma beleza emotiva expressa pelas cordas da guitarra.

Inevitavelmente, esta música lembra os primeiros trabalhos a solo de Norberto Lobo (“Mudar de Bina” ou “Pata Lenta”), tendo a guitarra como eixo criativo. Mas não se fica por aqui, este disco conta com músicos convidados, dois cantores que acrescentam novas camadas: Noiserv (colega na banda You Can’t Win, Charlie Brown) canta “Cinco Minutos Antes” (segundo single) e Salvador Menezes (Tipo) canta “Composição da Fuga”. Há ainda a voz do próprio Pedro Branco, na “Faixa Certa”. Os temas com voz mantêm a linha dos instrumentais, complementam e dão outras cores, sem destoar do panorama geral.

Assente numa soberba exploração da guitarra, esta estreia de Pedro Branco a solo é uma magnífica descoberta.

 

  • A Narrativa Épica do Quotidiano

    A Narrativa Épica do Quotidiano (Edição de autor)

    Pedro Branco

    Pedro Branco (guitarra, voz); Noiserv (voz); Salvador Menezes (voz)

Agenda

03 Julho

MenatJazz Ensemble

Parque Verde – Centro de Interpretação da Serra da Estrela - Seia

03 Julho

Zé Cruz Quarteto

Parque Urbano de Miraflores - Oeiras

03 Julho

Eduardo Cardinho / Zé Eduardo / Marcelo Araújo

Cantaloupe Café - Olhão

03 Julho

Garfo

Castelo de Leiria - Leiria

03 Julho

Big Band da EPSE com Jacinta e Mónica Ferraz

Parque Verde – Centro de Interpretação da Serra da Estrela - Seia

04 Julho

Funchal Jass Rhythm Kings

Yellow Bus - Funchal

04 Julho

Jorge Borges 5teto + Bruno Santos Almmond 3

Funchal Jazz - Jardim Municipal - Funchal

05 Julho

Décio Abreu 4teto + Vânia Sings Ella

Funchal Jazz - Jardim Municipal - Funchal

05 Julho

Luís Lopes e Hugo Costa

Jazz Messengers - Ler Devagar - Lisboa

05 Julho

Gabriel Bruce com Eduardo Cardinho, João Barradas e Diogo Alexandre

BOTA - Lisboa

Ver mais