Hugo Antunes / Agustí Fernández / Roger Turner: “Perspectrum” (JACC Records)

Rui Eduardo Paes

O trio que consta no mais recente título lançado pela JACC Records era para ter sido um quarteto com John Butcher, mas por motivos de doença o saxofonista britânico não pôde deslocar-se até Portugal no dia em que o concerto aqui registado, inserido na edição de 2016 dos Encontros Internacionais de Jazz de Coimbra, teve lugar. A ausência do músico reconfigurou o que iria acontecer na antiga igreja do Convento de São Francisco. O contrabaixista Hugo Antunes e os seus pares, o pianista Agustí Fernández e o baterista Roger Turner, viram-se a braços com aquele que será, talvez, o mais codificado formato instrumental do jazz e da música improvisada, o trio de piano. O que com ele fizeram é notável, ampliando para o plano colectivo algo que, coincidentemente ou não (Antunes sabe muito bem por que é que convida X ou Y para os seus projectos), é característico em cada um dos participantes.

Fernández é um explorador das entranhas do piano, por vezes demorando-se mais a intervir directamente nas cordas do que recorrendo ao teclado. Turner prefere o estudo das propriedades acústicas da percussão a um mais convencional mapeamento rítmico. O próprio Hugo Antunes vem conduzindo o contrabaixo a desfechos inesperados mediante a utilização de preparações, algo que continua a ser incomum com este cordofone. Ou seja, há uma qualidade concretista naquilo que ouvimos nos 10 primeiros minutos de “Uno”, com os espasmos de som organizado a três a sugerirem como que uma derivação abstracta do que o pontilhismo impressionista fazia na pintura. A tensão vai-se acumulando e surge depois um elemento de dramatização que cola tudo, puxando para o lado do jazz o que poderia ser entendido como uma introjecção de factores da música contemporânea. A partir desse momento gerem-se intensidades, com a música a baixar ou a subir, a ficar transparente ou a ganhar densidade, o que deixa o ouvinte suspenso do que vem a seguir. Pois aqui está um belíssimo disco, finalmente documentando o que foi um excelente concerto, daqueles que ficam na memória.