Øyvind Skarbø / Fredrik Ljungkvist / Kris Davis / Ole Morten Vågan: “Inland Empire” (Clean Feed)

Gonçalo Falcão

Esta é a primeira gravação de Øyvind Skarbø na Clean Feed. Apesar de datar de 2016, só sai agora, após “Skarbø Skulekorps”, um grande investimento discográfico, com uma formação orquestral alargada, a meio caminho entre a experimentação e a pop. “Meio-caminho” é a expressão dominante para definir este disco: entre o jazz com composições estruturadas e o free, entre o jazz escandinavo e o americano, entre as músicas escritas pelo baterista, produtor e as dos outros músicos, entre o ser um grande disco e apenas mais um dentro deste género. O piano é o elemento central: é ele que assume as despesas e que instala grande parte das ideias que os outros instrumentos vão usar. A bateria e o contrabaixo raramente assumem o volante e fazem uma secção rítmica compacta, acelerada, com a típica intensidade nórdica e focada, sem grandes excessos.

O diálogo entre o sopro de Frederik Ljungkvist e o piano de Kris Davis é o centro da música de “Inland Empire”, frequentemente muito elegante. “Jág Vet Inte” (em que Ljungkvist usa o clarinete) mostra como o quarteto consegue flutuar e sair dos esquemas mais previsíveis dos temas iniciais do disco: (composição) – excitação – acalmia. “Surf Curl”, o tema seguinte (4) é o momento alto do álbum, com um diálogo incrível entre o piano e o saxofone e com a secção rítmica a modelar os movimentos tonais, num andamento melódico inconclusivo de enorme perfeição. Um bom disco de jazz, com um tema que fica guardado na minha biblioteca de canções especiais.