Inside Rhythmic Falls

Aruán Ortiz / Andrew Cyrille / Mauricio Herrera: “Inside Rhythmic Falls” (Intakt)

Intakt

Gonçalo Falcão

O disco começa com uma espécie de ritualização do esconjuro, talvez de espíritos maus. Ou é isso ou sou eu que assim o quero ouvir, neste período pandémico. Repete-se a frase «from the Kindom of Congo» num Inglês espanholado e outras ladainhas que parecem saídas de uma liturgia. Por trás, os tambores e a instalação de um ambiente que vai dominar todo o disco. O som mágico – palavra que se aplica com toda a justificação – da bateria de Andrew Cyrille envolve-nos por completo. O baterista já é um velho conhecido, mas este seu som novo parece recente, revelado em 2016 no álbum “The Declaration of Musical Independence”. A bateria tem um som nítido que mais nenhuma bateria da actualidade tem.

Não é preciso ser muito sagaz para perceber logo que o assunto é rítmico, num disco em que o piano (Aruán Ortiz) é acompanhado por um baterista e por um percussionista (Mauricio Herrera). Para o pianista cubano, as teclas também são percussão, com frases curtas, repetitivas, e acordes cheios e tamborilados. Ortiz é o líder deste projecto, compositor de todos os temas e, graças à instrumentação que planeou e à escolha dos músicos, criador de uma gravação especial. Ortiz sai do território do latin jazze cria uma música surpreendente. Cyrille e Herrera encaixam na perfeição: é difícil dizer em que ponto a bateria e a percussão, incrivelmente bem gravadas, se distinguem.

O teclista é virtuoso, rápido, com uma linguagem própria que prefere elementos curtos aos movimentos rumbados típicos da tradição cubana. Ouve-se a memória da linguagem musical pianística da ilha caribenha (Lecuona / Saumell), mas numa forma diferente, partida em pequenos pedaços, com a melodia a construir cadências irregulares. Por ser tão rítmico e móvel, o piano tem grande facilidade em criar diálogos com as percussões.

Talvez sugestionado pelo primeiro tema e pelas “liner notes”, oiço todas as músicas como uma evocação xamânica afro-cubana (tradição que desconheço) e oiço o contraste entre as grandes chuvadas tropicais seguidas da calma ubre da natureza bem aguada. Fico com a ideia de que tudo acabará bem. Para quem quiser picar o disco sugiro que comece por “Golden Voices” (faixa 4): fica logo com a certeza de que esta é uma obra especial.

  • Inside Rhythmic Falls

    Inside Rhythmic Falls (Intakt)

    Aruán Ortiz / Andrew Cyrille / Mauricio Herrera

    Aruán Ortiz (piano, voz); Andrew Cyrille (bateria); Mauricio Herrera (percussão, voz)