Sérgio Tavares / Nuno Trocado / Tom Ward: “Vestiges” (Edição de autor)

Rui Eduardo Paes

Saído no final do ano passado, mas tão “under the radar” que escapou às listas dos melhores de 2019 (o eterno problema sofrido pelas edições de autor e em especial daquelas que surgem fora de Lisboa) eis um disco que vale a pena ouvir, e tornar a ouvir muitas vezes, neste início de 2020. Em “Vestiges” encontramos dois antigos alunos da ESMAE, o contrabaixista Sérgio Tavares e o guitarrista Nuno Trocado, um com percurso feito no ARS Trio, nos Incompleto e no PhantomTrio e o outro nos Cotovelo e nos Pãodemónio, em associação com o palhetista (aqui em clarinete baixo, saxofone alto e flauta) britânico Tom Ward, figura da cena londrina que vem espalhando contribuições por projectos como Madwort Saxophone Quartet, Mechanical Mindset, Ma/ti/om e Favourite Animals, entre outros. O enquadramento é o de uma música improvisada com estruturas mais ou menos definidas, consoante os temas, e muito determinadas pela tradição do avant-jazz de depois do free.

Se o factor jazz está muito presente em “Wipe Out”, por exemplo, com o seu “walking bass” distorcido, “Stories Old and New” alterna entre uma faceta mais textural / colectivista, um delicioso solo absoluto de Ward a ir para os agudos mais altos do clarinete baixo e um espraiamento por terrenos do mais assumido noise. Neste contexto, Trocado não se limita a explorar os efeitos electrónicos proporcionados pela pedaleira da sua guitarra: processa também os seus parceiros de grupo, como acontece nesta peça com o contrabaixo e numa anterior, “Caught Among Mirrors”, com a flauta de Ward. Tal diversidade de abordagens faz com que esta proposta de improvisação electroacústica tenha uma riqueza que a distingue de outras mais parametradas nos contextos português e internacional, o que é uma mais-valia quando verificamos que até nesta área se instalou um “mainstream”.