Testament

Avram Fefer Quartet: “Testament” (Clean Feed)

Clean Feed

Gonçalo Falcão

Este disco entrou em “repeat”, o ano passado, no meu leitor de CDs e ainda de lá não saiu. E instalou-se igualmente no topo da minha lista dos melhores discos que ouvi em 2019 e a jazz.pt também o arrolou para essa elite. É um caso sério. Diz a experiência no jazz que, quando se descobre uma pepita, é continuar a escavar, porque de onde ela veio, deve haver mais. Fui procurar e, em vez de pepitas, dei de caras com um erro meu: Avram Fefer não é uma novidade, grava desde 2001 e até já tinha editado na Clean Feed em 2009, com o seu grupo de sempre, tendo Eric Revis no contrabaixo e Chad Taylor na bateria. O saxofonista faz parte da cena jazzística nova-iorquina há 25 anos, Revis é seu companheiro desde os primeiros tempos da chegada à Big Apple e Taylor juntou-se-lhes uns anos depois. A primeira nota de audição dá conta precisamente deste grande entendimento, de um grupo a funcionar brutalmente coeso e intenso. Está explicado: vinte anos a tocarem juntos.

O segundo elemento, aquele que nos encanta e prende definitivamente, é a beleza estranha das melodias com uma aragem arábica. Grandes ideias, canções fortes e diferentes em ritmos rápidos e ondulantes, como uma música de encantamento de cobras. Quem viu o filme “O Marido da Cabeleireira”, de Patrice Leconte, reconhece o poder hipnótico e a atracção destes modos arabizados no genérico do filme. Fefer explica: “Testament” é um álbum que demorou muito tempo a ser feito; não porque as gravações tenham sido demoradas, mas porque o grupo demorou muito tempo até decidir ir para estúdio. «Eric Revis, Chad Taylor e eu tocamos juntos desde os nossos primeiros dias em Nova Iorque no final dos anos 1990. Já tínhamos gravado dois álbuns juntos como trio com um relacionamento incrivelmente natural. O Eric também foi o contrabaixista de “Calling All Spirits”, o meu álbum de estreia como líder, que ainda é uma das minhas gravações favoritas.»

O elemento surpresa é Marc Ribot, um dos melhores guitarristas do jazz de sempre. Soa, como habitualmente, relaxado, pouco rigoroso, mas ao mesmo tempo robusto e afirmativo. Liga-se extraordinariamente bem ao som do grupo e acrescenta-lhe fluidez e sinuosidade. O guitarrista faz com que o dito deixe de soar como um trio liderado pelo saxofone e aumenta a frente melódica, criando a sensação de que se trata de um grupo maior e abrindo a exposição das melodias. Guitarra e saxofone soam no seu melhor em oito canções emocionantes que funcionam como um copo de água gelado e cristalino depois de uma travessia do deserto. Jazz temperado com as melodias tuaregues de Bombino, um “groove” africano nas imediações do afro-funk, batidas capazes de fazer menear ancas de experientes bailarinas e sobre isto tudo Fefer, com um grande som de saxofone.

  • Testament

    Testament (Clean Feed)

    Avram Fefer Quartet

    Avram Fefer (saxofones alto e tenor); Marc Ribot (guitarra eléctrica); Eric Revis (contrabaixo); Chad Taylor (bateria)