Free Pantone Trio: “A Blink of an Eye to the Nature of Things” (FMR Records)

Rui Eduardo Paes

A promoção do Free Pantone Trio, grupo português formado por Manuel Guimarães (piano), Rui Sousa (baixo eléctrico) e João Valinho (bateria), apresenta o projecto como uma «trans-idiomatic experience», mas se na verdade a música que escutamos neste disco de estreia incorpora aspectos de vários idiomas musicais (os da música contemporânea, sobretudo por parte do pianista, e do rock, por via do baixista, que em tempos se dedicou a interpretar / converter Frank Zappa), algo que desde logo se evidencia nos temas de “A Blink of an Eye to the Nature of Things” é a filiação jazzística. As estratégias são as da música improvisada, mas a matriz está indubitavelmente no jazz. Ainda assim, não são as coordenadas do “piano jazz trio” que aqui encontramos: muito simplesmente, a formação não aceita a organização hierárquica que vem com esse modelo, preferindo a igualdade e a autonomia dos papéis instrumentais, na decorrência dos jogos harmolódicos propostos por Ornette Coleman.

A influência deste fica-se por aí e também não é pelo facto de estarmos em presença de uma guitarra baixo, e não do habitual (no jazz) contrabaixo, que há alguma ascendência de um Steve Swallow, a principal referência quando nos deparamos com uma situação do género. Felizmente, coisa que se evita neste disco é a aplicação de estereótipos. Sousa e Valinho estão muito bem neste “debut”, mas o que mais nos encanta é o trabalho desenvolvido por Guimarães. Sempre com uma abordagem livre, congregada sobre a herança do free jazz, o que lhe ouvimos tem mais conexões com Paul Bley do que com Cecil Taylor, o que não é, de todo, habitual no presente cenário. O lirismo e a delicadeza das suas construções pianísticas coexistem com um sentido muito rítmico e até percussivo, surgindo este com peso, conta e medida, se bem que de um modo muito natural. E sim, decisivamente contribuindo para o imenso catálogo de cores pantone que a música nos vai dando.