Van Der Weide / Hadow / Zwerver / Taubenfeld / Vicente: “Zwerv Live” (Creative Sources)

Rui Eduardo Paes

“Zwerv Live” é um disco com dois motes – um é a combinação de músicos de origens geográficas diversas que calharam encontrar-se em Amesterdão (só o trompetista português Luís Vicente aí não reside) e o outro a reunião de improvisadores veteranos com outros da nova geração. A iniciativa partiu do holandês Henk Zwerver, guitarrista que na década de 1960 tocou blues-rock para depois desaparecer de cena a fim de se dedicar a outra profissão, tendo voltado às lides musicais há cerca de cinco anos com abordagens bem distintas. Zwerver foi buscar uma glória do free holandês, o contrabaixista Raoul Van Der Weide, antigo colaborador de Burton Greene e Gunter Sommer, e chamou a jogo o baterista inglês George Hadow, um ex-aluno de Han Bennink que vem trabalhando com passados e presentes membros dos anarco-punks The Ex como Terrie Ex e Andy Moor e com os próprios The Ex, mais o clarinetista baixo israelita Ziv Taubenfeld, discípulo de Michael Moore, e o “nosso” Vicente.

Logo à primeira escuta se verifica que a música resultante tem mais filiações com a escola britânica da improvisação do que com a holandesa, mesmo que Van Der Weide mantenha o perfil teatral e humorístico que se tornou distintivo do jazz criativo dos Países Baixos. A secção rítmica é híper-activa e entusiasmante, mas muito do prazer que este disco registado ao vivo no Zaal 100 nos suscita vem da dupla de sopros, com os intensos Taubenfeld e Vicente a lembrarem-nos, por vezes, a histórica associação entre Eric Dolphy e Booker Little. Podem não ter a genialidade daquelas duas figuras do olimpo jazzístico, mas o que deles aqui ouvimos está muito próximo do brilhante.