Pedro Neves Trio: “05:21” (Carimbo Porta-Jazz)

Rui Eduardo Paes

Por esta altura, o trio de piano jazz já foi reinventado umas quantas vezes, sendo que algumas dessas reinvenções se fizeram sobre outras reinvenções, pelo que não se pode dizer que é um formato estanque – nunca foi. Resulta, aliás, curioso que logo este, um dos poucos que nunca se cristalizaram numa só fórmula, tenha sido objecto de tanta desconstrução e reconstrução. Ao seu segundo tomo, o Pedro Neves Trio vem precisamente situar-se entre fórmulas, como que a dizer que não há verdades absolutas quando se associa um piano, um contrabaixo e uma bateria.

Ainda assim, se o anterior “Ausente” preferiu a poesia, este “05:21” (em se tratando de um disco de jazz, será de presumir que o numerário indica a hora de deitar, não a de levantar) valoriza precisamente aquele factor que nos faz não querer ir para a cama: a agitação. A maior parte dos temas tem um “groove” e uma vertente “funky” mais habituais no jazz eléctrico do que em algo de tão assumidamente acústico como este disco. E no entanto, é uma composição lenta que faz com que nos rendamos aos argumentos expostos, a bela “Yesterday”, sendo curioso que a faixa seguinte, a do título, conote o sentido de beleza antes despertado com a música clássica, não sem que o contrabaixista Miguel Ângelo e o baterista Leandro Leonet lhe acrescentem uma pulsação bem picada. Cá está mais um CD do Norte que dá gosto ouvir…