Wood

Sébastien Boisseau / Matthieu Donarier: “Wood” (Yolk)

Yolk

Rui Eduardo Paes

Esta é uma edição especial no catálogo da Yolk: vem numa caixa de fundo branco, muito simples, mas evidenciado um maturado conceito gráfico e, surpresa, lá dentro, juntamente com o CD que encerra a música, encontramos uma rodela de madeira, cortada de um ramo ou de um tronco. É bonito, se bem que possa criar algumas dúvidas entre ecologistas e ambientalistas, e reforça o título da obra: “Wood”.

Wood porque os instrumentos tocados por Sébastien Boisseau e Matthieu Donarier são feitos de madeira (no caso do primeiro o contrabaixo, que é como que uma árvore musical; no que respeita ao segundo os clarinetes soprano e baixo e – porque munidos de palhetas, apesar de serem construídos em metal – os saxofones tenor e soprano).

Mas também é pela música propriamente dita que este lançamento se destaca. Boisseau e Donarier são dois dos mais ilustres activistas do colectivo de músicos francês Yolk (o mesmo nome da editora que lhes divulga o trabalho), e o que apresentam nesta compilação de registos ao vivo realizados em 2012 é um particularmente feliz exemplo da sua contribuição para entender o jazz de maneira diferente: o de que a divisória entre “mainstream” e “vanguarda” é um escolho quando se pretende ser simultaneamente criativo e autêntico.

O jazz que se propõe é, assim, contemporâneo ainda que dispondo de uma aura “clássica”, com abordagens tonais muito imaginativas e utilizações extensivas dos instrumentos que vêm totalmente a propósito. Sobretudo, há uma naturalidade na forma como o duo performa que hoje em dia já dificilmente se vai descobrindo. Sendo que o que é natural é sempre belo…

Aliás, é essa atitude que dá unidade ao disco. As peças incluídas (entre improvisações e composições – incluindo uma de Joachim Kuhn e uma de Daniel Humair – com partes improvisadas) foram gravadas em espaços diferentes, pouco tendo importado não haver uma uniformidade das envolvências, e ignoram a cronologia, andando para trás e para a frente no tempo, mas ainda assim ouvimos a sequência como se fora uma suite cuidadosamente planificada.

Na verdade, é isso mesmo este “Wood”: uma suite. Tudo o que a dupla gaulesa apresenta tem uma lógica que vem de antes e segue depois. Não começa no princípio nem acaba no fim, é apenas uma parte de um imenso continuum…

  • Wood

    Wood (Yolk)

    Sébastien Boisseau / Matthieu Donarier

    Sébastien Boisseau (contrabaixo); Matthieu Donarier (saxofones tenor e soprano, clarinetes soprano e baixo)

Agenda

01 Fevereiro

Com Calma Jazz Jam

Com Calma - Espaço Cultural - Lisboa

02 Fevereiro

João Lencastre, Pedro Branco e João Hasselberg

Miradouro de Baixo - Carpintarias de São Lázaro - Lisboa

02 Fevereiro

Mockūnas-Mikalkenas-Berre

Água Ardente - Lisboa

02 Fevereiro

Ensemble Porta-Jazz / Robalo

Porta-Jazz - Porto

02 Fevereiro

José Menezes Quarteto

Cine Incrível - Alma Danada - Almada

03 Fevereiro

Pedro Neves Trio “Hindrances” / Wabjie

Festival Porta-Jazz - Rivoli - Porto

03 Fevereiro

Percussion

Água Ardente - Lisboa

03 Fevereiro

Gianni Narduzzi “Dharma Bums” / Carlos Azevedo Quarteto “Serpente”

Festival Porta-Jazz - Rivoli - Porto

03 Fevereiro

Mockūnas-Mikalkenas-Berre

Salão Brazil - Coimbra

04 Fevereiro

Coletivo Osso/Porta-Jazz “Interferências” / Umbral

Festival Porta-Jazz - Rivoli - Porto

Ver mais