, 1 de Julho de 2021

Guarda in Jazz volta em Julho

Com um cartaz variado e que dá conta da diversidade do jazz nos dias de hoje, arranca no dia 7 de Julho o Guarda in Jazz, como habitualmente cobrindo duas semanas de programação do Teatro Municipal da Guarda, com um intervalo de uns dias de permeio. A abertura faz-se com a apresentação do álbum “Respeitosa Mente” do fadista Ricardo Ribeiro (o mesmo que colaborou com Rabih Abou Kalil), acompanhado por João Paulo Esteves da Silva ao piano e Jarrod Cagwin na percussão.

A 8, o pianista austríaco David Helbock leva à Serra da Estrela o seu projecto “Random Control”, um trio de formato inusitado em que também toca electrónica, “toy piano” e melódica e que conta com as contribuições de Johannes Bar (trompete, tuba, didgeridoo, beatbox) e Andreas Broger (saxofones tenor e soprano). No dia seguinte, a americana Hailey Tuck apresenta o seu cabaré-jazz vocal, com referências em Billie Holliday e Amy Winehouse, com uma formação integralmente portuguesa formada por João Carreiro (guitarra), Pedro Baião (piano), João Monteiro (baixo) e Fábio Rodrigues (bateria). A 10, vez para a cantora e pianista Mova Dreva e para os seus cruzamentos entre o jazz e o cancioneiro popular bielorusso, também com um grupo nacional constituído por Diogo Duque (trompete), Francesco Valente (contrabaixo) e André Sousa Machado (bateria).

O Isabel Rato Quinteto actua a 15 de Julho, numa outra ponte do jazz com a música tradicional, desta feita a portuguesa. Com a pianista estarão o cantor João David Almeida, o saxofonista João Capinha, o contrabaixista João Custódio e o baterista Alexandre Alves. Segue-se o Lisbon-Berlin Quartet de Luís Lopes (foto acima) com o repertório do recente “Sinister Hypnotization”, ao trio base de punk-metal-free jazz se somando agora Rodrigo Pinheiro no Fender-Rhodes, mas com outra diferença substancial: em vez do habitual Robert Landfermann no contrabaixo tocará Ingebrigt Haker Flaten, que conhecemos dos The Thing de Mats Gustafsson. Mantém-se o baterista Christian Lillinger. O fecho acontece no dia 17 com o pianista italiano Antonio Faraò, em trio com Nelson Cascais no contrabaixo e Alexandre Frazão na bateria.