, 5 de Agosto de 2019

Gigantes do trompete em filme

Em altura de férias, nada melhor do que ver cinema com tempo e vagar. E melhor ainda quando foram estreados dois filmes dois sobre jazz. O primeiro, “Miles Davis: Birth of the Cool”, gira à volta da vida do trompetista que nunca se cansou de procurar novas ideias. Do bebop ao acid jazz, passando pelo cool e pela fusão, Miles (foto acima) alinhou na linha da frente de todas as revoluções e este documentário conta uma versão dessa história. Usa imagens de arquivo inéditas, “outtakes” de estúdio e fotos raras. Dirigida por Stanley Nelson, que tem um currículo interessante em documentários deste período (“Tell Them We Are Rising: The Story of Black Colleges and Universities”, “The Black Panthers: Vanguard of the Revolution”, “Freedom Riders for American Experience”), esta longa-metragem é uma co-produção Eagle Rock Entertainment, da Firelight Films e da American Masters Pictures. Trailer em https://youtu.be/34r017yYNa0 e website em https://www.milesdavismovie.com/

O segundo filme em estreia recorda a figura de Buddy Bolden, o mítico trompetista que terá inventado o jazz e influenciado Louis Armstrong. Com pouca informação biográfica e sem gravações da sua música, a narrativa do filme é composta por memórias fragmentadas e pelo que se conhece do contexto político e social em que o jazz foi concebido. Realizado por Dan Pritzker, o filme conta com Wynton Marsalis na imaginação / reconstrução do que terá sido a música de Bolden, sendo o trompetista também quem se encarrega da produção. Disponível “online” em: http://bit.ly/WatchBolden e mais informação em https://www.facebook.com/boldenmovie. (Gonçalo Falcão)