, 4 de Junho de 2019

QuebraJazz de 2019 conta com 15 grupos e 26 concertos

Tem início já a 19 de Junho mais uma edição do QuebraJazz, festival que tem lugar na centenária Escada Quebra Costas que liga a Baixa e a Alta de Coimbra, sempre pelas 22h30 e com entrada livre. Este ano com uma única excepção: o concerto dos Alma Nuestra de Salvador Sobral e Victor Zamora terá lugar no Anfiteatro Colina de Camões, na Quinta das Lágrimas, resultando de uma parceria do QuebraJazz com o Festival das Artes. Sobral é um dos cabeças de cartaz numa programação que inclui os Lokomotiv de Carlos Barretto, a cantora Cristina Branco como convidada especial do Trio Paulo Bandeira e Carlos Bica (foto acima) na companhia de dois novos valores do jazz nacional, André Santos e João Mortágua.

A abertura faz-se, a 19, com os Dixie Gringos, uma divertida e irreverente formação de dixieland. A 21 e 22 de Junho, o quarteto de Ricardo Formoso apresenta o projecto Origens, com o trompetista à frente de um combo que inclui Carlos Azevedo ao piano, José Carlos Barbosa no contrabaixo e Marcos Cavaleiro na bateria. O M.C.A.F. Jazz Quartet terá igualmente um par de datas, a 28 e 29, com André Murraças (saxofone tenor), Rui Caetano (piano), Hugo Antunes (contrabaixo) e Pedro Felgar (bateria).

Os Lokomotiv tocam a 3 de Julho com a formação de sempre, juntando-se ao contrabaixo de Carlos Barretto a guitarra de Mário Delgado e a bateria de José Salgueiro. A 5 e a 6 vez para os Kintsugi, novo duo de João Mortágua e Luís Figueiredo em que aos instrumentos habituais de ambos (os saxofones alto e soprano do primeiro e o piano do segundo) se acrescentam teclados eléctricos, dispositivos electrónicos vários e outros recursos sonoros. Nos dias 12 e 13 o QuebraJazz  faz-se com o Demian Cabaud Quinteto, com o dito ao contrabaixo mais Ricardo Formoso (fliscórnio, trompete), José Pedro Coelho (saxofone tenor), João Grilo (piano) e Marcos Cavaleiro (bateria e bombo leguero).

O Trio Paulo Bandeira estará no palco a 19 e 20 de Julho, ao baterista que lhe dá nome somando-se João Paulo Esteves da Silva ao piano, Bernardo Moreira no contrabaixo e a já referida Cristina Branco como “guest”. Os Alma Nuestra tocam a partir das 21h00 (mediante pagamento de bilhete, porque de uma excepção se trata) de 25 no local acima indicado, com o cantor (Salvador Sobral) e o pianista (Victor Zamora) a fazerem uso dos préstimos de Nelson Cascais (contrabaixo) e André Sousa Machado (bateria).

Os Centauri do guitarrista e compositor André Fernandes apresentam-se a 26 e 27 de Julho, integrando José Pedro Coelho (saxofones tenor e soprano), João Mortágua (saxofones alto e soprano), Francisco Brito (contrabaixo) e João Pereira (bateria). Já em Agosto, a 2 e 3, a renomada escada de Coimbra será ocupada pelo contrabaixista Carlos Bica com André Santos na guitarra (prevendo-se que leva também algum instrumento de cordas dedilhadas da Madeira) e João Mortágua nos seus habituais saxofones. O Desidério Lázaro Quarteto actua a 9 e 10. Ao lado do saxofonista estarão João Firmino (guitarra eléctrica), Francisco Brito (contrabaixo) e Joel Silva (bateria).

No dia 14 de Agosto teremos uma das surpresas da novíssima geração do jazz nacional, o saxofonista alto Tomás Marques em quinteto com Óscar Graça (piano), Augusto Baschera guitarra), Rodrigo Correia (contrabaixo) e Diogo Alexandre (bateria). O Daniel Neto Trio passa pelo QuebraJazz a 16 e 17 do mesmo mês, com o guitarrista líder a contar com o contrabaixo de Manuel Brito e a bateria de Rui Pereira. Outra boa surpresa virá com o André Carvalho Quinteto a 23 e 24. O contrabaixista terá consigo o trompete de João Almeida, os saxofones alto e soprano de José Soares, o vibrafone de Jeffery Davis e a bateria de Luís Candeias. O fecho faz-se a 30 e 31 com o Quebra Ensamble. Sob a condução de Carlos Azevedo (piano) encontraremos Ricardo Formoso (trompete), João Freitas (guitarra), João Cação (contrabaixo) e Paulo Bandeira (bateria).