, 14 de Junho de 2018

Matosinhos em Jazz volta com novo figurino

Com uma frequência que se mantém desde a década de 1990, o Matosinhos em Jazz vai ter este ano um novo figurino, com concertos espalhados ao longo dos fins-de-semana de Julho e uma programação que incide sobre músicos e grupos portugueses, alguns deles não directamente conotados com o jazz, depois de ter levado à cidade figuras internacionais como Dave Holland, Joe Lovano e James Carter. As entradas serão gratuitas, como vem sendo de tradição.

A abertura faz-se logo no dia 1 de Julho ao entardecer, no coreto (em frente à Câmara Municipal de Matosinhos, promotora do evento) com Elas e o Jazz, trio vocal constituído por Joana Machado, Marta Hugon e Mariana Norton, tendo por base os “standards” do cancioneiro norte-americano. Seguem-se, a 7, o Mário Laginha Trio (foto acima de Raymond Weil) e, a 8, os Lokomotiv de Carlos Barretto, Mário Delgado e Alexandre Frazão. No dia 14, vez para os Jazzamboka, a única formação do cartaz que não tem origem nacional. Trata-se de um colectivo canadiano, com dois membros de ascendência congolesa, que funde a linguagem do jazz com elementos da música africana, do funk, do hip-hop e do rock. A 15 de Julho, sobe ao palco um dos mais aplaudidos projectos da Porta-Jazz, o Coreto. A 21, é Cristina Branco que se apresenta, cantora que no seu percurso interpretou José Afonso com arranjos jazz, mas é mais conhecida como intérprete de fado e de música popular portuguesa. No dia 22 é no coreto ainda que toca o duo Songbird, de Luís Figueiredo e João Hasselberg, especializado na criação de versões instrumentais de temas da folk e da pop.

Os dois derradeiros concertos mudam-se para a Praça Guilhermina Suggia e decorrem de noite. No dia 27, Sérgio Godinho junta-se à Orquestra Jazz de Matosinhos numa revisão “bigbandística” do seu repertório. A 28, Pedro Abrunhosa faz-se acompanhar pela Orquestra Sinfónica do Porto. Incluídos estão ainda uma exposição de obras inspiradas em capas de discos icónicos do jazz, da autoria de Oficina Arara, AKACorleone, Nash Does Work e Francisco Queimada / Mariana Caló e um debate, marcado para 7 de Julho, com Pedro Guedes (OJM), Luís Salgado (Maus Hábitos) e Joaquim Mota (Rádio Nova).