, 6 de Dezembro de 2017

Europe Jazz Network volta a Portugal em 2018

Organização que junta os principais programadores e produtores de festivais de jazz no Velho Continente, a Europe Jazz Network vai em 2018 voltar a ter no nosso país a sua Conferência anual. Está agendada para o período compreendido entre os dias 13 e 16 de Setembro, tendo o Centro Cultural de Belém, em Lisboa, como base de trabalho – aí acontecerão reuniões e concertos abertos ao público, ainda que estes destinados a mostrar aos participantes estrangeiros e à imprensa especializada europeia o melhor que se faz em Portugal no domínio do jazz. O programa está ainda a ser estabelecido, sabendo-se para já que vai incidir sobre novos projectos musicais que ainda não são conhecidos (ou pelo menos suficientemente conhecidos) além-fronteiras. Se em 2016 a anfitriã da Europe Jazz Network Conference foi a editora Clean Feed, com a SMUP (Parede, concelho de Cascais) a receber os concertos do festival Desvio, então realizado com semelhantes objectivos, no próximo ano essa tarefa estará a cargo da Sons da Lusofonia, a mesma associação que promove a Festa do Jazz do S. Luiz e que para este efeito teve a – rara, saliente-se – iniciativa de abrir a definição dos contornos do evento a outros agentes do jazz português.

Refere Carlos Martins, director artístico da Sons da Lusofonia: «Temos grandes expectativas relativamente a esta oportunidade de a Europe Jazz Network estreitar a sua presença no Sul da Europa e promover a equidade e a integração, dentro da diversidade que é representada pela União Europeia. Para reforçarmos a rede do jazz europeu necessitamos de uma abertura a outras perspectivas e de desenhar as nossas acções com um âmbito geográfico mais alargado. Enquanto porto global ansioso por descobrir outras geocentralidades e ganhar uma nova e positiva influência, Lisboa é o ponto de partida perfeito. Localizada na costa do oceano Atlântico, a capital portuguesa é uma inspiração importante para entender o jazz como uma música que representa a liberdade, a curiosidade e a interacção, no objectivo de preservar o conhecimento e a tradição oral num mundo que se tornou mais complexo do que nunca.» Esta vinda da conferência da EJN recebeu já os apoios do município de Lisboa, da Associação Turística de Lisboa, do Ministério da Cultura e do Creative Europe Programme da União Europeia.