Big Band AlãoJazz, 26 de Abril de 2022

Big Band AlãoJazz

Nas rotas do jazz

texto: Nuno Catarino

A Associação AlãoJazz promove o projeto Rotas do Jazz, com apoio da DGArtes, que decorre em Alenquer e combina dois objetivos: apresentar a mais nova geração de jazz português e revitalizar o património histórico e cultural do concelho. Estes objetivos são concretizados pela Big Band AlãoJazz, que reúne quinze músicos dirigidos pelo diretor artístico José Menezes. A big band apresenta-se ao vivo próximo no dia 30 de abril, assinalando o Dia Internacional do Jazz, com um concerto na igreja do Convento de Santo António de Charnais, em Merceana, Alenquer, às 21h30. Estivemos à conversa com o diretor José Menezes.

Saxofonista de reconhecido mérito, José Menezes tem desenvolvido um interessante trabalho em nome próprio (destaque para o projeto “100 Umbrellas”, à volta da música de Erik Satie) e tem colaborado em projetos como Michael Lauren All Stars e LUME - Lisbon Underground Music Ensemble. Em paralelo, vem desenvolvendo um importante trabalho formativo, pedagógico e de investigação, e neste projeto AlãoJazz aproveita essa experiência. 

Menezes começa por explicar como nasceu a ideia de promover o jazz em paralelo com a divulgação da região de Alenquer: «A ideia nasceu com a minha descoberta pessoal da região de Alenquer. Eu não conhecia bem a região, comecei a visitá-la com as atividades do festival AlãoJazz, ainda antes da formação da associação. Comecei a perceber que é uma região incrível, com muita história, com mansões, solares, conventos e igrejas antigas. Isso despertou a minha curiosidade de visitar aquelas casas semi-abandonadas, possivelmente cheias de história. Surgiu a oportunidade de fazer uma proposta cultural no concelho e propus à associação. Surgiu do interesse pela história da região e pelas estórias dessas casas e da nossa vontade de descobrir. Criámos um ciclo chamado Rotas do Jazz, porque tem uma natureza de itinerância, e temos estado a visitar lugares que de outra forma não seriam visitados e levar lá concertos de jazz.» 

Para o diretor, concretizar o projeto em formato de big band surgiu de forma natural: «Optámos por levar para a frente a formação de big band porque no concelho de Alenquer há uma grande tradição de grandes formações de sopro, há várias bandas filarmónicas, há muitos músicos de sopro, achámos que fazia sentido seguirmos essa tradição. A big band foi a escolha natural, contamos com alguns músicos da região e queremos seduzir mais músicos locais.»

José Menezes fala sobre o repertório apresentado ao vivo e o motivo para a sua escolha: «Temos tocado arranjos de músicos como Steve Slagle, Bob Mintzer, Kenny Dorham ou Oliver Nelson. É uma linguagem do lado moderno da escrita de big band mas que é uma escrita muitíssimo estruturante do funcionamento dos músicos em big band. Os músicos aprendem largamente a tocar em big band, independentemente do estilo, tocando este repertório. Há ainda dois arranjos originais meus, mas realmente o núcleo duro do repertório concentra-se neste tipo de escrita.»

A Big Band AlãoJazz já se apresentou ao vivo em três ocasiões. O diretor artístico conta como têm corrido estas primeiras apresentações: «Já atuámos em três ocasiões e em todas elas correu extremamente bem. O público presente reagiu muitíssimo bem e, daquilo que me fizeram chegar, ficou surpreendido pela qualidade da orquestra, especialmente tendo em conta que se trata de uma orquestra tão jovem.» 

A big band vai ter agora a sua quarta apresentação ao vivo, assinalando o Dia Internacional do Jazz. Menezes antecipa a atuação: «O concerto vai ser na igreja do Convento de Santo António de Charnais, em Merceana, um desses sítios que esteve em ruínas e foi agora alvo de uma enorme intervenção de recuperação. Agora está aberta ao público e é uma belíssima igreja com um painel de azulejos incrível e raro. Do concerto vamos esperar a melhor música possível e a melhor comparência possível. O repertório foi ligeiramente alterado, porque como a igreja tem uma reverberação muito grande, retirámos alguns temas mais rápidos. Vamos ter um concerto ligeiramente mais calmo, vamos ter alguns dos nossos temas habituais e alguns outros que escolhi precisamente para assinalar o Dia Internacional do Jazz, temas muito participativos, com imensos solos e uma participação mais festiva por parte de todos os músicos envolvidos.» 

Agenda

27 Maio

MIVRO I

Teatro Helena Sá e Costa - Porto

27 Maio

Diogo Alexandre Bock Ensemble

Casa D’artes do Bonfim - Porto

27 Maio

293 Diagonal / Gil Silva

Teatro Angrense - Angra do Heroísmo

27 Maio

Antón Quintela 5tet

Teatro Helena Sá e Costa - Porto

27 Maio

Bruno Pernadas e Mário Delgado

Teatro Narciso Ferreira - Riba de Ave

27 Maio

El Twanguero

O Cinema - Oliveira de Azeméis

27 Maio

Júlio Resende & FBP Jazz Sessions

Fábrica Braço de Prata - Lisboa

27 Maio

Orquestra de Jazz do Algarve com Ana Laíns e Cherry

Cerca do Convento - Loulé

27 Maio

Brian Jackson

Passos Manuel - Porto

27 Maio

João Capinha Quinteto

Sala do Clube - Valado de Frades

Ver mais