Gonçalo Leonardo Quartet: “East 97th” (Robalo Music)

Rui Eduardo Paes

Eis o disco de estreia enquanto líder do seu próprio grupo de um músico da nova geração do jazz português que merece toda a atenção, o contrabaixista e compositor Gonçalo Leonardo. E um primeiro disco que que promete um auspicioso futuro para o músico de Caldas da Rainha que estudou na Escola de Jazz do Hot Clube de Portugal, com Demian Cabaud e, nos Estados Unidos, com figuras como Steve Coleman, Chris Lightcap, Drew Gress e Ralph Alessi, entre outros de igual estatura. “East 97th” foi gravado, precisamente, em Nova Iorque, e conta com as prestações de três habitantes locais, o guitarrista André Matos, o pianista Yago Vásquez e o baterista Tommy Crane.

A escrita de Leonardo é claramente influenciada por Bernardo Sassetti, o que traz tanto implicações técnicas – aquilo a que Ricardo Toscano chama «harmonia à portuguesa» - como estéticas e de expressão. Os temas reunidos tendem para a melancolia e para uma exploração de “moods” e atmosferas. Duas improvisações integrais estão incluídas, mas uma (“Train Talk”) segue as mesmas premissas tonais e de progressão de acordes das compostas e a outra (“Loken”) estica o tipo de abordagem do álbum até algo que parece provir de um entendimento “experimental” do acid jazz. O factor Sassetti e de portugalidade deste jazz eléctrico é diluído pelo facto de, à excepção de Matos, não serem portugueses os acompanhantes de Gonçalo Leonardo. É, no entanto, André Matos quem mais se destaca, com o seu estilo de guitarra cintilante, inventivo e muitas vezes desconforme, numa sua prestação particularmente bem conseguida.