Carlo Mascolo: “My Tubes” (Creative Sources)

Rui Eduardo Paes

reative Sources)

 

Presença habitual no MIA – Encontro de Música Improvisada de Atouguia da Baleia, o italiano Carlo Mascolo não será desconhecido dos apreciadores portugueses do krautrock: tem integrado os Embryo de Christian Burchard, bem como outros projectos liderados por este baterista e vibrafonista alemão. Colaborações com figuras cimeiras do jazz como Marshall Allen, Charles Gayle e Steve Potts constam igualmente de um longo currículo que, apesar das frequentes deambulações do trombonista pela Palestina e pela Cisjordânia, está bem enraizado em Itália: tocou com Antonello Salis, Eugenio Colombo, Marcello Magliocchi, Nicola Guazzaloca e Gianni Lenoci, entre muitos outros seus compatriotas.

O álbum a solo “My Tubes” coloca Mascolo na posição que lhe era devida na cena internacional: a de um dos maiores inovadores do trombone na actualidade, e tanto em termos de léxicos como de técnicas, incluindo algumas de sua própria formulação. Com o conceito de “trombone preparado”, por meio de embocaduras modificadas ou de extensões do seu instrumento como mangueiras, cones de trânsito e outras, este pesquisador de possibilidades vem aumentando o leque de características da música acústica dos nossos dias e aplicando nela sonoridades que parecem provir da electrónica (por vezes parece que estamos a ouvir um sintetizador), com exploração sistemática de multifónicos, harmónicos e microtonalidades. Sem ser propriamente demonstrativo, este disco tem a especial importância de ser um compêndio da experimentação trombonística, sempre sob o signo da improvisação.