José Salgueiro: “Transporte Colectivo” (Aduf)

Rui Eduardo Paes

Membro que é dos Lokomotiv de Carlos Barretto, membro que foi dos El Fad de José Peixoto, para além de muitos outros projectos da área do jazz em que o fomos encontrando como “sideman” ao longo de décadas, José Salgueiro nunca tinha publicado um disco em nome próprio – aos 56 anos de idade, ei-lo finalmente aqui e muito a tempo. O que quer dizer também que, para além das suas superlativas capacidades como baterista e percussionista – é unanimemente aclamado como um dos nossos melhores –, se revela como compositor, neste mister surpreendendo-nos mesmo com a sua escrita muito sugestiva e elegante.

“Transporte Colectivo” é um álbum jovial e bem disposto, de escuta acessível e capaz de nos fazer abanar a cabeça e bater o pé, mas isso não quer dizer que busca o agrado fácil: as opções estéticas privilegiam as formas abertas, com as complexas e quantas vezes extravagantes estruturas, revelando influências do rock, do free jazz, do jazz nórdico e das músicas do mundo, a proporcionarem uma grande liberdade improvisacional aos cinco intervenientes (ele mais Guto Lucena no clarinete baixo e no saxofone alto, Mário Delgado na guitarra eléctrica, João Paulo Esteves da Silva no piano e Cícero Lee no contrabaixo). E se poderíamos esperar que a mais-valia desta música estivesse nos temas ritmados e rápidos, são as baladas e as peças em tempo lento e com grande acentuação melódica que nos tocam especialmente. Por detrás deste desenfreado inventor de “beats” está uma alma lírica.