, 12 de Maio de 2017

Terry Riley e Joelle Léandre vêm a Serralves

O compositor minimalista (para além de teclista e saxofonista soprano muito influenciado pelo jazz) Terry Riley (na foto) e a contrabaixista de improvisação livre, também marcada pelo jazz, Joelle Léandre são os cabeças-de-cartaz das duas grandes iniciativas da Fundação de Serralves para a Primavera e o Verão deste ano – o Serralves em Festa e o Jazz no Parque.

O norte-americano virá à maratona de eventos de Serralves em duo com o guitarrista Gyan Riley, para uma actuação em data ainda a confirmar entre 2 e 3 de Junho. A francesa fechará o ciclo de jazz a 16 de Julho com uma formação portuguesa constituída em tributo ao Feminist Improvising Group por Maria Radich (voz, dança), Susana Santos Silva (trompete, fliscórnio), Maria do Mar (violino), Joana Guerra (violoncelo, voz) e Angelica V. Salvi (harpa, electrónica).

Para o Serralves em Festa estão igualmente agendados os Angles 6 do saxofonista sueco Martin Kuchen (4 de Junho), as duplas Oren Ambarchi / Will Guthrie (2 de Junho) e Rie Nakajima / Pierre Berthet (concerto a 4 de Junho, instalação e performances a 1, 2 e 3), bem como Russell Haswell em formato de electrónica solo (3 de Junho) e Phonetic Orchestra com um concerto “para dormir” que terá a duração de oito horas na noite de 2 para 3 de Junho. No dia 4 do mesmo mês, uma ex-colaboradora de John Zorn e Evan Parker, a pianista Maya Dunietz, interpretará composições da freira etíope Emahoy Tsegué-Maryam Guèbrou.

As presenças nacionais no Serralves em Festa estarão a cargo do Open Field String Trio de João Camões (viola), Marcelo dos Reis (guitarra) e José Miguel Pereira (contrabaixo) e do violetista e manipulador de dispositivos electroacústicos Tiago Morais Morgado, em dias ainda a anunciar.

O Jazz no Parque arrancará a 2 de Julho com os Spinifex Plus, ou seja, os holandeses Spinifex (Tobias Klein em saxofone alto, Bart Maris em trompete, Jasper Stadhouders em guitarra eléctrica, Gonçalo Almeida em baixo eléctrico e Phillipe Moser na bateria) adicionados por John Dikeman (saxofone tenor) e pelos portugueses Francisco Andrade (saxofone tenor), João Martins (saxofone barítono), Luís Vicente (trompete), Eduardo Lála (trombone) e Gil Gonçalves (tuba).

No dia 9 de Julho será a vez de se estrear o Rodrigo Amado Northern Liberties, grupo do saxofonista de Lisboa com os noruegueses Thomas Johansson (trompete), Jonas Rune Strom (contrabaixo) e Gard Nilssen (bateria).