, 11 de Abril de 2017

Rede do jazz português deu primeiro passo

Realizada no último fim-de-semana, em Lisboa, a Festa do Jazz do S. Luiz foi palco de uma iniciativa histórica: no passado dia 9 de Abril ficou constituída a comissão instaladora daquele que pretende ser o primeiro organismo representativo do jazz e da música improvisada feitos em Portugal, envolvendo a totalidade dos agentes em actividade, aos níveis da criação, da programação, da edição, da promoção, do ensino e da investigação. O grupo de trabalho inclui os músicos e investigadores José Dias e Pedro Cravinho, o músico e programador Carlos Martins, o crítico e programador Rui Eduardo Paes, Pedro Guedes da Orquestra Jazz de Matosinhos, Hugo Alves da Orquestra de Jazz do Algarve e Carlos Mendes da Escola de Jazz da Jobra. Presentes igualmente estiveram João Pedro Brandão (Porta-Jazz), Pedro Costa (Clean Feed, programador), Andreia Santos (Conservatório de Coimbra) e Michael Lauren (ESMAE).

A elaboração de um plano criador de uma “network” nacional similar às existentes em países como França, Reino Unido, Itália e outros, a dirigir às várias entidades que em Portugal funcionam na área do jazz, bem como a definição de um modelo organizacional e legal que sirva os interesses de todas e um mapeamento dos sectores que compõem esta mesma área, visando a realização de um futuro diagnóstico do jazz português, são as tarefas que a comissão irá desenvolver até ao próximo encontro em Novembro, altura em que está projectada a fundação oficial da Rede de Promoção do Jazz Português (designação provisória).

O objectivo é ter uma plataforma comum que estabeleça estratégias de reivindicação e de obtenção de apoios no relacionamento com as instituições do Estado português e da União Europeia e com o mecenato. No programa de intenções está igualmente a ultrapassagem da condição periférica, em termos culturais, económicos e geográficos, que desde sempre vem limitando o alcance do jazz nacional, na expectativa de internacionalizar os nossos artistas e as suas propostas. A reunião fundadora foi antecedida de uma outra, a 8 de Abril e também na Festa do Jazz, que teve a participação de figuras como Mário Laginha e Desidério Lázaro, ambos com intervenções particularmente importantes no que respeita às questões levantadas por esta iniciativa.