, 10 de Fevereiro de 2017

Festival português em Berlim anuncia cartaz

Já está fechado o programa do Jazz’Aqui – Portuguese Jazz Fest, que vai decorrer no Kunstfabrik Schlot, em Berlim (Invalidenstrass, 117), de 23 a 25 de Março próximo, primeiro de uma série de eventos que terá anualmente lugar numa diferente cidade europeia, com o propósito de divulgar o jazz que se faz em Portugal. O baterista e compositor Marco Santos tem honras de abertura, a 23, em trio com Diogo Duque (trompete) e João Frade (acordeão).

No dia seguinte serão dois os concertos. Primeiro um solo de Rui Faustino, com o projecto For Unnacompanied Drums, e depois os Slow is Possible no novo formato em sexteto, com Bruno Figueira (saxofone), André Pontífice (violoncelo), João Clemente (guitarra), Nuno Santos Dias (piano), Ricardo Sousa (contrabaixo) e Duarte Fonseca (bateria).

A 25, nova dupla, com Cat in a Bag, grupo que junta três dos Slow is Possible (Figueira, Clemente e Fonseca) ao baixista eléctrico João Lucas, e a banda The Mantra of the pHat Lotus do guitarrista Mané Fernandes (foto acima), com José Soares (saxofone, clarinete), Filipe Louro (contrabaixo), Ricardo Coelho (vibrafone, percussão) e Pedro Vasconcelos (bateria).

Na tarde deste último dia do Jazz’Aqui , o investigador universitário José Dias e o crítico e escritor Rui Eduardo Paes falarão sobre o tema “Portuguese Jazz: What, Who and Where it Goes?”. Se o jazz é português, os horários são muito alemães: 21h08 para os concertos, 16h18 para a conferência.