, 29 de Setembro de 2016

Bragança estreia festival de jazz

Depois do Douro Jazz e de um par de décadas de “jam sessions” nos bares da cidade, Bragança vai ter em Outubro a primeira edição de um novo festival, o Bragança Jazz, com uma programação que abrange várias tendências deste género musical. Dos dias 7 a 21, o Teatro Municipal vai receber dois grupos por semana, com formações portuguesas em que se incluem alguns convidados estrangeiros. O arranque faz-se com a Dixies Gringos Jazz Band. Depois de duas arruadas à hora do almoço, para chamar o povo ao festival, o ensemble actua no auditório à noite. São 10 os intervenientes, com os instrumentos típicos de uma banda de New Orleans (clarinete, saxofone, trompete, trombone, tuba, banjo, percussão, piano). A 8 será a vez do Filipe Melo Trio com Jordi Rossy como convidado, músico que já esteve ao lado de figuras como Wayne Shorter, Carla Bley, Paquito de Rivera e Chris Cheek.

No dia 13 toca o luso-francês Fauksa 4tet, juntando Hamza Touré, Freddy Blondeau, Samuel Lercher e Rui Pereira numa fórmula, como os próprios anunciam, de «partilha, poesia e energia». A 15 de Outubro apresenta-se a Orquestra Jazz de Matosinhos com uma cantora solista, Manuela Azevedo, voz de uma banda de pop-rock que ficou para a história, Clã. Temas dos cancioneiros americano, francês e brasileiro farão parte do repertório, assim como canções dos próprios Clã com arranjos jazzísticos.

O recém-estreado projecto Songbird (foto acima, por Vera Marmelo), da dupla constituída por Luís Figueiredo e João Hasselberg, segue-se a 19. Apenas com um piano e um contrabaixo, o duo interpretará a seu modo (um jazz intimista e sofisticado com claras influências clássicas) uma série de mais ou menos conhecidos temas da pop, do rock e da folk. O fecho acontece a 21 com o Red Trio de Rodrigo Pinheiro, Hernâni Faustino e Gabriel Ferrandini, mais o saxofonista britânico John Butcher, com a música ora extremamente intensa, ora delicada que estes quatro improvisadores editaram em dois discos.