, 1 de Setembro de 2016

Seixal Jazz traz Saluzzi e Henriette em Outubro

Está anunciada a edição de 2016 – a 17ª do festival – do Seixal Jazz, este ano com uma programação centrada em músicos nacionais e em velhas e novas glórias da ECM, a mais mediática editora de jazz do mundo. O evento promovido pelo município do Seixal volta ao Fórum Cultural daquela cidade da margem Sul do Tejo no fim-de-semana de 21 e 22 de Outubro, retomando o ritmo a partir de dia 26 e com fecho marcado para 29.

As honras de abertura, na sexta 21, recaem sobre o bandoneonista Dino Saluzzi, uma das estrelas maiores da etiqueta alemã dirigida por Manfred Eicher, com o seu híbrido de jazz, tango e música erudita. Acompanham-no três familiares, o guitarrista José Maria Saluzzi, o saxofonista e clarinetista Félix “Cuchara” Saluzzi e o contrabaixista Matias Saluzzi, com a bateria e a percussão nas mãos de Ut Gandhi. É, claramente, o cabeça-de-cartaz do evento.

No dia seguinte, apresenta-se a última grande descoberta da ECM, a saxofonista norueguesa Mette Henriette (foto acima), que no ano passado a todos surpreendeu com o seu disco de estreia, ganhando as primeiras posições de muitas listas dos melhores de 2015. Com ela vêm dois elementos-chave desse álbum, Johan Lindvall no piano e Katrine Schiott no violoncelo. Uma boa oportunidade para ouvir, em directo, o subtil jazz de câmara desta jovem de etnia Sami.

O trompetista Gonçalo Marques tem CD novo e vai mostrar a música que nele está gravada na quarta-feira 26 de Outubro. Ao seu lado estarão alguns dos maiores nomes da nova geração do jazz português, a saber João Guimarães (saxofone alto), José Pedro Coelho (saxofone tenor); Demian Cabaud (contrabaixo) e Marcos Cavaleiro (bateria), por sinal todos eles sediados no Poto e associados do colectivo Porta-Jazz.  Este mesmo quinteto receberá, na tarde do mesmo dia, a visita das crianças reunidas na iniciativa “A Escola Vai ao Seixal Jazz”

A 27, quem gostou do “Grand Valis” de Hugo Carvalhais, outro músico portuense, terá a rara oportunidade (e rara porque este projecto não tem andado na estrada) de assistir ao vivo à misteriosa música dessa internacionalmente muito aplaudida edição da Clean Feed. Carvalhais contará com as participações de Dominique Pifarély (violino), Gabriel Pinto (teclados) e Mário Costa (bateria, percussão, electrónica). Só o último não consta no disco, pelo que a sua contribuição mudará, com certeza, as tramas.

O incontornável Ricardo Toscano Quarteto actua na sexta 28, com um repertório de versões de temas de nomes históricos como John Coltrane ou Ornette Coleman e do património do hard bop, de permeio podendo surgir partituras do líder saxofonista. Aos 23 anos de idade, Toscano deixou de ser o “menino-prodígio” e a “promessa” de que se falava para se tornar numa certeza do jazz nacional com capacidade de atrair um grande número de espectadores. O seu quarteto integra João Pedro Coelho (piano), Romeu Tristão (contrabaixo) e João Pereira (bateria), como habitualmente.

A conclusão do Seixal Jazz de 2016, em solo absoluto, faz-se no dia 29 com outro músico que tem intrigado e entusiasmado quem aprecia o jazz e a boa música em geral, o norte-americano Colin Stetson. Virtuoso desse difícil instrumento que é o saxofone baixo, a sua actividade divide-se entre uma dedicação à música improvisada e colaborações com luminárias e grupos de pop e rock como Tom Waits, Laurie Anderson, Animal Collective, LCD Soundsystem, Chemical Brothers e TV on the Radio.